Solicite uma Demonstração
  • Telefone
    (16) 3623-3051

Compartilhe:

 Muito se fala sobre o caráter operacional e subjetivo que carrega a maioria dos RHs das organizações. Alguns deles, entretanto, de fato acabam por enraizar essas características em suas rotinas. Resumem as suas funções à produção de relatórios e planilhas, fazendo uso de métodos pouco práticos e retrógrados. Além disso, baseiam as decisões em subjetividades e “achismo”, uma vez que não medem desempenho e, portanto não conectam os resultados humanos aos resultados da empresa.

Atuando dessa forma, o RH acaba não conseguindo demonstrar o valor que tem às outras áreas, embora se saiba que pessoas são os bens mais valiosos que uma empresa tem. Hoje, isso acarreta em desperdício de recursos, e consequentemente em prejuízo dos resultados das organizações.

 Empresas evoluíram, passando a fazer uso de tecnologias em suas gestões. Automatizaram processos e adotaram métricas alinhadas ao negócio. No RH, isso não deve ser diferente!

 Estudos apontam que, embora o papel do RH dentro da empresa ainda é subestimado, trata-se de uma área fundamental para o alcance dos resultados organizacionais. De acordo com pesquisas realizadas por renomadas consultorias como Boston Consulting e EY, o desempenho da empresa está diretamente ligado à capacidade da área de recursos humanos. Nesta matéria da revista Exame (“O RH que gera lucro”), é possível observar que, se o RH de uma empresa vai bem, seus resultados também vão, e vice-versa.

 É mais do que óbvia a necessidade de valorizar as ações de RH dentro de uma empresa. Para isso, gestores devem trabalhar na modernização dos conceitos equivocados que ainda reinam no mundo do RH. É fundamental que o RH evolua do estágio operacional para o estratégico.

 Aqui estão algumas dicas que podem ajudar você a tornar o RH de sua empresa mais estratégico:

  1. Abandonar rotinas pouco práticas. Isso inclui a geração de relatórios à mão ou até mesmo em planilhas de Excel. Existem soluções mais inovadoras que evitam o desperdício de tempo causado por essas ferramentas retrógradas.

2. Contar com um software de gestão de pessoas. Anteriormente, discutimos que a tecnologia vem tomando amplo espaço dentro das empresas. Ela é parte de nossas vidas! Não diferente disso, a tecnologia aplicada à gestão de pessoas traz muitos benefícios para a área. Ela é fundamental para automatizar rotinas, gerar dados consistentes e otimizar análises.

  1. Medir e gerenciar desempenhos. Muitos gestores, líderes e profissionais de RH acabam embasando suas decisões sobre pessoas em dados irrelevantes, subjetivos ou desconectados da realidade da empresa. Se os desempenhos não forem medidos, não há como fazer uma boa gestão de desempenhos, sem uma boa gestão, não há como enxergar com clareza o retorno do investimento em salários. Uma eficiente maneira de medir e gerenciar desempenhos é definir indicadores alinhados aos objetivos estratégicos da empresa. Eles trazem dados consistentes e podem funcionar como métrica para importantes decisões.
  1. Conectar o desempenho humano ao desempenho organizacional. Ao medir e gerenciar desempenhos, é muito importante que haja uma conexão entre resultados humanos e resultados organizacionais. Somente assim é possível conectar a gestão de pessoas à estratégia da organização. Uma maneira de fazer isso é definir os indicadores humanos a partir dos resultados de cada processo organizacional. 
  1. Contar com sistemas estruturades de gestão de desempenho. Uma tendência muito forte na área de gestão de pessoas é o surgimento do People Analytics. Essa é uma ferramenta que permite praticar uma Gestão de Pessoas baseada em dados. A aplicação do People Analytics no RH promete ser algo fundamental para tornar a área mais (ou muito mais) estratégica. 
  1. Realizar pesquisas de clima organizacional com frequência. A pesquisa de clima organizacional é essencial para medir o nível de satisfação dos colaboradores. Para que as pessoas trabalhem mais motivadas é essencial um clima positivo e desafiador, que estimule a produtividade. 
  1. Treinamento das lideranças. Muitos dos problemas das empresas no que se refere à gestão de pessoas se devem à falta de preparo das lideranças. Para que o RH seja estratégico, é preciso investir na formação de líderes orientados a resultados e a pessoas! É preciso preparar profissionais para gerenciar planod, procesos, atividades e para liderar pessoas.

Resumo das Medidas
1. Abandono das rotinas pouco práticas
2. Contar com software de gestão de pessoas
3. Medir e gerenciar desempenhos
4. Conectar o desempenho humano ao desempenho organizacional
5. Gerenciar desempenhos
6. Realizar pesquisas de clima organizacional com frequência
7. Treinar as lideranças

Deixe seu Comentário