• Telefone
    (16) 3623-3051 | (11) 3254-7681

Compartilhe:

Quais os papéis e as responsabilidades quando o assunto é Gestão de Pessoas nas organizações?

Durante muito tempo pesou sobre o RH a responsabilidade e fazer gestão de pessoas. Muito recentemente é que se começou a entender que a maior parte dessa responsabilidade está nas mãos das lideranças.

Na verdade, há três agentes que deveriam compartilhar a responsabilidade pelo desempenho e pelas contribuições dos colaboradores para o sucesso da empresa: a alta cúpula, os líderes de equipes e o RH!

Vamos começar pelo papel dos líderes, fazendo uma analogia com o mundo do esporte: o líder é o técnico do time! O responsável pelo resultado da equipe!

Liderança e Gestão de Pessoas no esporte

Usando a analogia do esporte, o líder está para a equipe liderada, assim como o técnico está para o time que comanda.

O técnico planeja o jogo, acompanha a equipe em campo, monitora o desempenho de cada um, treino a treino, jogo a jogo. E durante o jogo pede tempo sempre que necessário orienta, reorienta, redefine táticas, registra erros e acertos.

Esses registros de desempenhos vão ajudar a identificar as forças e deficiências que precisam ser trabalhadas em cada membro da equipe, sempre com foco na melhoria da performance do time do resultado do jogo e na vitória dos campeonatos.

Sempre que o líder identificar erros e acertos da equipe, deve registrar! Só assim terá base de dados para analisar os fatos.

Esses registros evidenciam os desempenhos. Ajudam a identificar as forças e deficiências que precisam ser trabalhadas em cada membro da equipe, sempre com foco na melhoria da performance do time do resultado do jogo e na vitória dos campeonatos.

Esta é a reprodução do formulário de avaliação de desempenho que o Bernardinho utilizava na gestão da seleção brasileira de volei. 

São registros de erros e acertos de block, saque, passe e ataque. E esta é apenas uma parte. O formulário é maior. Ele consta no livro do Bernardinho “Transformando Suor em Ouro”.

É claro que hoje ele conta com recursos tecnológicos avançados, com os quais não contava dessa época. Mas é a ação que conta. A tecnologia sozinha, se não for utilizada com efetividade, não serve de nada.

O olhar atento do técnico identifica as variáveis que impactam o desempenho dos jogadores. E isso inclui deficiências de conhecimentos, habilidades, comportamentos o ambiente e o estado emocional dos integrantes do time, as relações entre eles, a combinação dos diversos perfis, etc.

Hoje, com os avanços da tecnologia, muitos outros recursos são utilizados para gerar informações para apoiar a orientação dos jogadores, a definição treinos, táticas e estratégias de jogo. Não é à toa que o Bernardinho é um dos maiores colecionadores de pódiuns na história do esporte.  Ele é um dos maiores exemplos de gestor de pessoas que eu conheço.

Mas uma coisa é certa: é a ação que conta! A tecnologia sozinha, se não for utilizada com efetividade, não serve de nada.

Liderança e Gestão de Pessoas nas organizações

No esporte e nas organizações, esse é o papel essencial de qualquer profissional em posição de liderança! Formar a equipe, orientar a execução de atividades e planos, acompanhar e monitorar a execução, avaliar e dar feedbacks constantemente, orientando e reorientando sempre que uma situação demandar. Isso é necessário para que o líder possa levar os liderados ao alcance de metas e resultados. Assim como o técnico no esporte.

Voltando ao contexto corporativo, todas as lideranças em qualquer nível (Diretores, Gerentes, Coordenadores, Supervisores...), devem organizar e planejar o trabalho da equipe! Devem acompanhar as atividades, monitorar e registrar os desempenhos de cada um – os erros e acertos, assim como o técnico no esporte.

Também no campo da Gestão de Pessoas, com o avanço da tecnologia esses registros podem ser muito mais facilmente processados e transformados em informações valiosas, possibilitando uma gestão mais estratégica de desempenho para orientar as práticas de RH.

Esses registros são o ponto central de uma avaliações de desempenho! Um recurso que muita gente jura que é ferramenta de RH. Mas esse conceito deve ser reconstruído:  avaliação é ferramenta de liderança.

No nível da liderança intermediária e da liderança operacional, os desempenhos dos liderados devem ser avaliados e registrados cotidianamente, e devem ser acompanhados de feedbacks pontuais – no momento em que for necessário para orientar e corrigir a rota do time.

Nos níveis mais elevados da pirâmide organizacional – gerência e Diretoria – o monitoramento de desempenhos é realizado cada vez mais por meio de recursos tecnológicos com painéis de indicadores.

O processo de avaliação gera dados e informações que vão servir d base para a adoção de ações que vão potencializar o desempenho das equipes e, consequentemente o desempenho da empresa.

E papel da liderança, portanto, gerenciar o desempenho dos liderados e tratar todas as variáveis que interferem nas suas entregas.

Papel de Recursos Humanos na Gestão de Pessoas

Tanto no esporte como nas organizações, o técnico e o líder contam com um staff de especialistas para dar suporte e auxiliar no tratamento dos pontos que estão impactando a performance do time

No esporte esse staff é composto por fisioterapeutas, psicólogos, médicos e preparadores físicos. Técnicos de futebol contam até com preparador exclusivo de goleiro e analista de desempenho! Todos trabalhando juntos para que jogadores tenham melhor desempenho em campo!

Assim como o staff do técnico no âmbito do esporte, as lideranças também devem contar com um staff que pode ajudar na tomada de decisões no planejamento e execução de ações e na condução do time: profissionais de Recursos Humanos.

RH como staff de especialistas para apoiar as lideranças

A equipe de RH pode ter especialistas de peso para auxiliar as lideranças na condução de suas equipes

Especialistas em recrutamento e seleção ajudam o líder a avaliar e selecionar os profissionais adequados para integrar o time.

Especialistas em cargos e salários, que ajudam na tomada de decisão de remuneração e reconhecimentos financeiros

Especialistas em T&D, em comportamento humano que podem ajudar o líder a desenvolver conhecimentos, habilidades e comportamentos pra melhorar a performance da equipe.

Mas atenção, os especialistas de RH ajudam, orientam e dão apoio aos planos e nas decisões de Gestão de Pessoas, definem programas e processos de desenvolvimento. Mas a responsabilidade da gestão dos liderados e dos resultados do time continua sendo do líder.

Cada um fazendo seu papel, essa parceria rende frutos de muito valor para a empresa.

Ambos, profissionais de RH e líderes, são absolutamente responsáveis por uma gestão eficaz de pessoas na empresa.

E para que ambos, lideranças e profissionais de RH, possam assumir seus papéis com eficácia é preciso implantar um método de gestão que seja coerente, que seja alinhado aos objetivos da empresa, que facilite a condução das equipes ao alcance dos resultados planejados para o negócio.

Além disso, é muito importante contar com tecnologia adequada para agilizar os processos e gerar bases consistentes de informações – analytics – para direcionar planos e decisões de Gestão de Pessoas.

 

O papel da alta cúpula na Gestão de Pessoas

No topo da pirâmide a alta direção deve indicar o norte, dar o tom e o ritmo organizacional para o alcance de resultados e objetivos. Deve garantir que as pessoas que ocuparem posição de liderança sejam capacitadas para exercer bem o seu papel.

A alta Direção deve atuar para as lideranças da empresa se enxerguem dentro de um único sistema organizacional, e se unam em torno do mesmo objetivo. Deve, não só apoiar, mas também se envolver nas práticas estratégicas de Gestão de Pessoas.

Sem o apoio e o envolvimento da alta cúpula com as práticas de RH, não há gestão de pessoas eficaz, nem por parte das lideranças, nem por parte do RH!

Este tema também está disponível na versão vídeo: acesse aqui 

Fonte: Denise Lustri, Cohros

Fonte: Denise Lustri, Cohros