• Telefone
    (16) 3623-3051 | (11) 3254-7681

Compartilhe:

Ouça o podcast abaixo

/

A posição de Liderança

Quando uma pessoa é promovida para a posição de liderança, isso geralmente significa um degrau a mais na carreira profissional, uma conquista, um sinal de sucesso! E, na verdade, é mesmo!

Mas essa conquista traz maiores complexidades, pois requer do profissional o exercício de diferentes papéis e diferentes responsabilidades, que demandam preparo!

E, via de regra, as empresas não preparam profissionais com antecedência para que eles ocupem essa posição. Nesta série de artigos, vamos abordar cada um desses papéis e responsabilidades. Vamos iniciar pela representatividade.

Responsabilidades da Liderança

Quando a empresa propõe uma posição de liderança a um profissional, entre outras coisas, ela o está convidando para representá-la perante a equipe que estará sob sua responsabilidade.

No momento da promoção, nem sempre o profissional se dá conta de que, quando aceita ocupar a posição de liderança, ele incorpora a própria empresa e passa a representar sua cultura, suas políticas, suas normas e procedimentos, seus princípios e valores, suas condutas e direcionamentos estratégicos.

Ser um representante da empresa perante a equipe demanda que o profissional conheça, respeite, pratique e dissemine tudo isso. Um gestor eficaz deve incorporar essas diretrizes organizacionais nas suas atitudes, nas suas práticas cotidianas, atuando como exemplo!

Um bom gestor, deve ter o compromisso de incentivar seus liderados a praticar os princípios e valores organizacionais, a respeitar o código de ética, a seguir as políticas, normas e procedimentos, a buscar o alcance dos objetivos coletivos. Isso inclui o conhecimento e a compreensão das políticas de Recursos Humanos. Na posição de liderança, o/a profissional deve saber quais são os critérios para aumentos de salários, quais são regras para criação de novos cargos, para promoções, para concessão de benefícios, planos de carreira etc.

É muito comum encontrarmos profissionais desmotivados por expectativas frustradas, criadas pelos seus próprios líderes que acenam com promessas de promoção, aumento de salários, crescimento de carreira, que muitas vezes a empresa não poderá cumprir.

Por isso, é muito importante que o gestor e entenda também as políticas de RH, para que possa alinhar as expectativas dos seus liderados com a realidade organizacional, para não prometer nada que a empresa não poderá cumprir depois.

Liderança e Cultura Organizacional

Quando um profissional se torna líder de equipe em uma organização, implicitamente aceita tudo o que vem junto com ela. Com relação a isso. Vamos fazer aqui um pequeno parêntese: a gente pode não concordar com tudo na organização, podemos vivenciar alguns conflitos. Isso é natural, pois as pessoas têm opiniões diferentes e podem divergir nos seus pontos de vistas. Essas divergências são comuns, e até benéficas, em uma organização. Mas não é disso que estamos tratando aqui.

Estamos falando de algo mais profundo: se os valores, as regras, as políticas ou comportamento organizacional forem contra os princípios e valores de um gestor, ele não será capaz de representá-la e atuar em seu nome. Como pode um gestor convencer e engajar sua equipe, se ele mesmo não estiver convencido ou engajado? Como pode um gestor defender e estimular a prática de alguma coisa que ele mesmo não acredita e não pratica. Mesmo que tente disfarçar, a equipe vai perceber. Se o líder não acredita, a equipe não acredita e a performance do time vai sofrer impactos. Sem contar os impactos dessas contrariedades sobre a saúde do profissional.

Para finalizar esta reflexão, todos colaboradores de uma empresa deveriam conhecer suas diretrizes, praticar seus princípios e valores, respeitar suas normas, políticas e procedimentos, mas na posição de liderança, essa responsabilidade é triplicada! Pois é do líder a responsabilidade de disseminar a cultura e as diretrizes gerais da empresa.

Na vida profissional, tudo fica muito melhor se estivermos alinhados com os princípios e valores organizacionais, se nos sentirmos confortáveis com o ambiente e a cultura da empresa, se o nosso sonho couber dentro do sonho da organização!